quarta-feira, 27 de março de 2013

Beleza, um poema de Carlos Santos

 
 
 
 
 
 
 
 
Beleza
Não me acordes do meu sono profundo,
fui visitar o cosmos,
percorrer as distâncias infinitas,
tocar o céu.
 
Deixa-me prolongar este sonho de viagem,
maravilhar-me com as luzes do espaço sideral,
as névoas estelares,
as cores impossíveis do universo.
 
Na tranquilidade deste descanso,
deixa-me ouvir os sons telúricos,
as conversas assustadoras das galáxias,
o rasto dos cometas e o impacto dos meteoros.
Neste meu sonho sem abismos,
inexistem os espaços perdidos,
buracos negros, ausência de matéria,
e eu, deixo-me deslumbrar apenas pela sua infinita beleza.
Anda. Vem comigo ao cosmos…
 
Carlos Santos

1 comentário: